O PINTOR DO INFERNO

Desenterrado por

Há muito tempo, vivia no Sul da China um velho
pintor de muito talento. O que ele mais gostava de retratar eram rostos de
crianças. Toda semana pintava sete carinhas diferentes, uma para cada dia.

Certa noite, enquanto o velho pintor
trabalhava, caiu uma tempestade horrível. Ele estava tão entretido em fazer o
retrato de uma linda menina que nem percebeu que à sua porta surgira uma
misteriosa figura.

Ela atravessou o cômodo e, quando chegou ao seu
lado, disse:

  -Eu sou
a Morte e preciso leva-lo comigo hoje.

O velho, porém, não ficou assustado. Pelo
contrário, continuou a pintar, respondendo apenas:

  -Morte,
por favor, diga ao senhor do céu que estou muito ocupado e não posso partir sem
terminar meu retrato.

Surpresa com a atitude do pintor, a Morte aproximou
se do quadro. Ficou paralisada.

O rosto que ele pintava era tão lindo e vivo
que parecia lhe sorrir. Emocionada, a Morte foi-se embora. Quando chegou ao céu,
o Senhor do céu lhe perguntou:

-Morte, o que aconteceu? Você voltou sozinha?

-Senhor, me perdoe, mas não consegui
interromper o velho mestre. Ele estava pintando um quadro tão lindo…

O Senhor do céu ficou furioso com a Morte:

-O que é isso? Você nunca me desobedeceu! Volte
já para a terra e traga-me o pintor!

Mas, quando a Morte chegou à casa do pintor
ficou novamente paralisada. Os quadros do velhinho eram tão maravilhosos que
ela não queria que ele parasse de trabalhar. Porém, dessa vez não poderia
falhar, e pediu que o pintor apanhasse seu material e o quadro que estava
pintando e a acompanhasse.

Quando viu o quadro do velho, o Senhor do céu
compreendeu a atitude da Morte e disse:

-Meu velho e sábio mestre, soube que na Terra
você era um pintor célebre. Pois bem, vou permitir que continue a trabalhar no
céu.

E foi assim que o pintor se instalou no belo
palácio infernal.