Olhos Famintos 3: Com diretor condenado por pedofilia, terror é criticado por piada sobre abuso sexual

Desenterrado por

“Você pode culpar o padastro dela? Quero dizer, olhe para ela. O coração quer o que o coração quer, não é mesmo?”, diz uma frase do roteiro escrito por Victor Salva.

Victor Salva, cineasta condenado por pedofilia no final da década de 1980, tem sido duramente criticado por ter criado um diálogo que faz pouco caso de abuso sexual infantil em Olhos Famintos 3. A sequência do filme de terror sobre uma criatura predatória foi exibida em um dia apenas nos Estados Unidos na última terça-feira (26).

As críticas da imprensa especializada foram mistas, mas mais do que qualquer argumento sobre o mérito da obra, chamou a atenção um trecho da resenha do site IGN. Em Olhos Famintos 3, Gabrielle Haugh (a Laura de 13 Reasons Why) interpreta uma garota que foge de casa para morar com a avó após sugerir que era abusada sexualmente por seu padrasto. O filme não mostra as cenas de estupro, mas o roteiro escrito por Salva incluiu dois personagens que fazem apologia aos atos do abusador. “Você pode culpar o padastro dela? Quero dizer, olhe para ela. O coração quer o que o coração quer, não é mesmo?”, diz um dos personagens, segundo o IGN.

De acordo com o jornal britânico Telegraph, a cena estava na cópia do filme que foi divulgada para a imprensa, mas foi removida do corte final exibido nos cinemas dos EUA e não estará no DVD.

Em 1988, Victor Salva foi condenado a três anos de prisão por abusar de Nathan Forrest Winters, que tinha 12 anos de idade na época. Winters era a estrela de Palhaço Assassino (1989), filme de terror que marcou  a estreia de Salva como cineasta, que filmou o abuso cometido contra o ator mirim e também foi processado pela posse de pornografia infantil.

Victor Salva durante as filmagens de Olhos Famintos 2.

“Ele passou um ano comigo e com meus pais”, disse Winters em uma rara entrevista concedida neste ano. “Ele ganhou nossa confiança. Isso foi tudo calculado, um longo processo, como fazem a maior parte dos pedófilos.” O ex-ator planeja produzir um documentário sobre seu caso de abuso e denunciar outros episódios de pedofilia em Hollywood. “O filme vai mostrar como eu fui de vítima a sobrevivente. Eu acredito que todos nós neste país temos tido medo de enfrentar esse tema indizível e continuamos nos fazendo de cegos, o que permite que esses predadores de nossas crianças passem impunes por tanto tempo”, disse Winters em entrevista ao site Horror Fuel.

O diretor passou apenas 15 meses na prisão e foi liberado. Poucos anos depois, Salva dirigiu e roteirizou o filme de fantasia e suspense Energia Pura (1995), produzido pela Caravan Pictures, estúdio que pertencia à  The Walt Disney Studios. O estúdio do Mickey, sempre associado ao mundo do entretenimento infantil, foi muito criticado por contratar um profissional com a ficha criminal de Salva.

Durante a produção de Olhos Famintos 3, o histórico de Salva impediu que o cineasta contratasse atores na Colúmbia Britânica, no Canadá. Após uma associação local de atores descobriu que o cineasta planejava encontrar a intérprete do papel que ficou com Gabrielle Haugh, o grupo lançou um aviso que fez o site de casting Breakdown Services, Ltd. remover a chamada de elenco realizada pelo diretor.

Com orçamentos modestos, Olhos Famintos (2001) e Olhos Famintos 2 (2003) arrecadaram mais de US$ 120 milhões nas bilheterias mundiais. Os filmes são produzidos por Francis Ford Coppola.